ESG e Imobiliário - 10 principais factos que os investidores necessitam saber

2020 foi um ano decisivo para os investimentos ambientais, sociais e de governação (Environmental, Social and Governance - ESG) no imobiliário. Efetivamente, a disrupção ligada com a pandemia e com o clima, juntamente com o crescente reconhecimento das desigualdades sociais, levou os investidores a adotar uma abordagem mais robusta aos riscos relacionados com a sustentabilidade.

60% dos entrevistados no âmbito do Global Investor Intentions Survey realizado em 2021 pela CBRE afirmaram já ter adotado critérios ESG como parte das suas estratégias de investimento, com as regiões das Américas, Europa e Ásia-Pacífico a registarem um foco maior nas questões ESG do que em anos anteriores.

Com o ESG a desempenhar um papel muito mais importante no modo como as empresas operam, os investidores começam a incorporar as considerações ESG em todas as fases do ciclo de vida do imóvel, desde a due diligence à aquisição, e do arrendamento à gestão de ativos.

O que pode ler no relatório?

A CBRE Global Research identifica as 10 considerações de ESG mais importantes para os investidores imobiliários, e analisa as últimas tendências, inovações e requisitos regulatórios do setor nessas categorias.